Archive for janeiro \24\UTC 2010

Férias 2010 – O caminho das pedras para hospedagem

24 de janeiro de 2010

Eu amo caçar oportunidades de hospedagem. O lugar ideal, pra mim, é um cantinho bonito, confortável, bem equipado, bem localizado e barato. Não necessariamente nessa ordem. Sou uma defensora ardorosa dos apartamentos/studios, mas às vezes procuro albergues ou hotéis, se vou ficar poucos dias no meu destino.

Por que apartamento?
Antes de qualquer coisa, eu fico mais a vontade em apartamento. O que algumas pessoas veem como vantagem – ter uma arrumadeira todos os dias – me faz ficar desconfortável. Eu gosto de voltar pra “casa” quando estou viajando, e ver que as coisas estão como eu deixei, ainda que em desordem. Além disso, ficar em um apartamento, onde você pode cozinhar, pode baratear bastante sua viagem. E é uma delícia brincar de casinha em uma cidade estrangeira. Ir à padaria pela manhã, fazer compras no supermercado, encher sua geladeira de delícias, abrir um vinho antes de dormir… Eu insisto: é mais confortável (e geralmente mais espaçoso) que hotel, por preço mais baixo que albergue. Por isso, apartamento.

Tá bom, apartamento. Como escolher?
A
primeira coisa que eu tento definir é em que região eu quero alugar o apartamento. Pra isso vale sair perguntando para os amigos que já viveram ou visitaram o lugar, ou procurar dicas em blogs especializados, como por exemplo o Viaje na Viagem, do Ricardo Freire. Definido o(s) bairros onde você gostaria de ficar, parta para o ataque. Procure no Google “nome_da_cidade short term rent” e comece a pesquisar.

Tem dois jeitos que eu sei de alugar. Um é usando agências, como por exemplo essa aqui que eu usei em Buenos Aires. Elas fazem a ponte entre o proprietário e o cliente (você!) e daí ganham uma comissão em cima do valor que você paga. Outro jeito é negociar diretamente com o proprietário. Pra isso eu uso o Homelidays, que é uma espécie de rede social de pessoas que alugam apartamentos de temporada. Você vai lá, pesquisa, analisa bem, entra em contato com a pessoa e fecha negócio.

Antes de fechar negócio eu sempre confirmo as informações do anúncio e peço o endereço exato do lugar. Daí é hora de colocar o Google Maps para funcionar. Jogue lá o endereço e descubra se o apartamento descrito como bem central em Barcelona na verdade não fica pra lá de Barceloneta. Ou se a tal rua tranquila não é uma super avenida movimentada. Se o metrô é perto de verdade ou não. Enfim. Use o Google Maps a seu favor. Olhando pelo street view dá pra ver até a fachada e a janela do apê (olha minha casinha de Lisboa do ano passado que fofa! Minha janela era a do térreo, da esquerda :~~~~).

Tá tudo certo? O apê é bonitinho por fora? A localização tá boa? As avaliações no site são positivas (isso é o mais importante!)? Então se jogue. É bastante comum os proprietários pedirem uma parte do aluguel adiantado, como garantia de que você realmente vai aparecer na data combinada. “E agora, Ligia, como eu faço pra mandar dinheiro pra gringa?” Bão, eu já usei Western Union, mas eles cobram uma taxa meio bizarra, então eu recomendo que você tente negociar com o proprietário o pagamento por PayPal. Também é normal que eles peçam um valor na sua entrada, como caução – vai que você quebra a TV de Plasma novinha deles, né? Esse valor é geralmente pago em dinheiro e devolvido no último dia de estadia, quando o proprietário vai recolher as chaves e verificar o estado do apê.

Não tem mistério! Só é bom se garantir no inglês, para as negociações não terem erro. Até hoje eu não tive problemas.

OW! Eu não quero ficar em apê! Eu quero hotel ou albergue!
Sério?! Po… então tá. O que eu recomendo é que você pesquise os hotéis ou albergues em sites como o TripAdvisor, ou o HostelWorld, ou o Hotels.com, fique de olho nas avaliações, nos prós e contras, e… boa estadia!

Férias 2010 – Hospedagem

24 de janeiro de 2010

Eu sou a malucona do planejamento de viagem. AMO. Geralmente eu coto a passagem com minha agente, porque acho que ela consegue umas tarifas que eu não consigo, mas a hospedagem fica por minha conta.

Dessa vez, imagina, são cinco ou seis cidades (Amsterdam não conta porque vou ficar na casa da minha amiga, né?). E com particularidades em cada lugar. Na Itália vou viajar com a minha mãe, então melhor evitar andares altos sem elevador, e o banheiro é melhor que seja privativo, etc e tal. Em Barcelona vou estar com mais 4 pessoas, então precisávamos de um apartamento espaçoso. Em Paris e na Bélgica, vou estar com um amigo, num esquema qualquer coisa tá bom e tal.

O primeiro lugar que procurei foi Barcelona – até porque o planejamento da viagem começou por lá. Eu queria algo que fosse indiscutivelmente vantajoso pra todo mundo – pra ninguém querer desistir e ir para um albergue. Era legal que o apê fosse perto de onde vai rolar o Primavera Sound, e perto de estações de metro. E perto também das grandes atrações da cidade, já que de todo mundo que vai ficar nesse apê, eu sou a única que tá indo pra Barcelona pela segunda vez.

Depois de olhar uns 3 apartamentos, achei um que parecia muito bom, entre o Parc de la Ciutadella e a Sagrada Familia, a poucos quarteirões do Barri Gotic, e a poucos quarteirões da praia. E a uns 4 km do lugar do show – com ânimo dá até pra ir à pé, vai. Mas sem ânimo, tem metrô pertinho. O apê tem 3 quartos e lugar para 6 pessoas. E vai custar 20 euros por pessoa por dia. :D

Barcelona resolvido, fui pesquisar Roma. Deu trabalho, mas achamos um apartamentinho térreo muito bem recomendado no Trastevere, que segundo eu pesquisei, é um bairro movimentado a noite, com vários restaurantes e bares e gente na rua. Curti. Nossa outra opção era ficar na região do Termini, mas as descrições da região nos desanimaram. O apartamentinho não tem nada de mais, nem TV, só um canto pra gente dormir, uma cozinha pequenininha e um banheiro. Tá ótimo. Vamos pagar 37 euros por dia, cada uma.

Em Florença resolvemos ficar no mesmo lugar que meu irmão ficou ano passado, e que ele recomendou fortemente. Vamos ver se o gosto dele bate com o nosso. É um albergue bem no meio de Florença, parece bem arrumadinho, o dono foi muito atencioso. Cada noite custa 28 euros por pessoa. Mas esse aqui não tem banheiro privativo, ai ai ai…

Em Veneza, quem deu a dica foi o Mac. Um Bed and Breakfast em San Stae, onde ele ficou ano passado com a Lili e amou. Aliás, vejam as fotos de Veneza do Mac e da Lili. Me dá arrepios de ansiedade toda vez que eu vejo. Nesse aí a gente vai pagar 42,5 euros por dia, por pessoa. Salgadinho, mas vai valer a pena.

Em Paris, eu bem tentei fugir do Marais, mas uma força estranha me arrasta pra lá. Hah. Encontrei um apê que me ganhou pela vista. É só olhar pela janela e você dá de cara com os canos coloridos do Beaubourg. É só descer pro térreo (de elevador, olha que milagre!) e você está na escadaria do metrô Rambuteau. Alguns poucos quarteirões e você está na Île de la Cité. Será que eu consegui um apê ainda melhor do que o do ano passado?! O preço é amigo, 33 euros por noite, por pessoa. Aiaiai.

Os apartamentos todos eu achei no Homelidays, como fiz no ano passado. Tomara que seja uma experiência boa, como tem sido desde que entrei nessa de alugar apartamento. Sou super defensora desse estilo de hospedagem, acho infinitamente melhor que hotel, e na maior parte das vezes sai mais barato que albergue (sem contar o conforto…).

Pra alugar apartamento você pode procurar por uma agência, ou negociar diretamente com o proprietário – o que sai mais barato. No Homelidays negocia-se direto com o proprietário. Como não há garantias, o negócio é feito meio na confiança, eu aconselho sempre ficar de olho nas avaliações que cada apartamento/proprietário recebeu (lá no pé da página de cada anuncio), e prestar muita atenção na descrição do apartamento, o que tem e o que não tem. Escolha bem e as chances de dar errado são muito pequenas.

Eu só não procurei apartamento em Florença e Veneza porque só vamos ficar 3 noites em cada lugar, e daí não é tão vantajoso alugar apê. Mas se alguém tiver alguma recomendação, pode deixar aí nos comentários!

Ah! Veja aqui onde eu fiquei, ano passado, em Lisboa, Madrid, Barcelona e Paris. Com vídeos!

Férias 2010 – pra onde eu vou?

18 de janeiro de 2010

Não vou mentir: estou pensando nas férias de 2010 desde que voltei das férias de 2009. Eu amo meu trabalho, mas gosto muito mais de ficar de papo pro ar, viajando de preferência.

Mas que difícil decidir o que fazer das férias! Por muito tempo minha convicção era: vou ficar em São Paulo mesmo, economizando dinheiro, quero comprar um apê, estudar fora, ou qualquer coisa assim. Mas o bichinho viajador é fogo. E daí eu decidi que ia pra NY com minha mãe. Porque a gente nunca foi para os Estados Unidos, e a passagem tá baratinha, meu irmão acabou de voltar de lá empolgado, etc etc etc.

Cotei passagens e comecei a pesquisar hospedagem. E comecei a passar nervoso. FOI MAL, pra mim 100 dinheiros a diária é CARO, e eu não tava achando nada mais barato que isso por lá. E o que achava na faixa dos 100 dólares era MUQUIFO. Eu sou obcecada por achados, gosto de ficar em lugares legais e baratos, e essa busca sem resultados positivos por hospedagem em NY tava me frustrando muito.

Daí que um amigo meu um dia me diz: “Ligia, comprei o ingresso pro Primavera Sound“. O Primavera vem a ser um festival de música em Barcelona que é reconhecidamente um dos mais bacanas do mundo. Os palcos são de cara para o mar Mediterrâneo. E no line up desse ano estão bandas como Pavement, Wilco e Pixies. Arrepiei.

Eu não gostei muito de Barcelona, confesso. Não me emocionou. Eu nem achei que fosse voltar pra lá tão cedo. Mas daí outro amigo meu comprou ingresso pro festival. E outro. E as datas do festival coincidiam bem com a época em que eu gosto de tirar férias. Hm… entrei no site e comprei meu ingresso. Pronto. Estava decidido meu destino nas férias: Europa again.

Mas e a tradição de viajar com minha mãe nas férias? Dessa vez eu iria viajar com os amigos e largar ela por aqui? Sacanagem, né? Conversei com ela e acertamos que antes de eu ir para Barcelona, iríamos juntas para outro lugar. Pensamos, pensamos e decidimos ir para a Itália. Roma, Florença e Veneza, o basicão para uma primeira vez. De Veneza ela volta para o Brasil, e eu sigo para Barcelona.

Muito bem. Mas eu que não quero ir para a Europa para ficar só 15 dias. Decidi que ia para Amsterdam visitar uma amiga que mora lá. Só que entre Barcelona e Amsterdam existe um país-zinho besta chamado França, e uma cidade irresistível chamada Paris. Convoquei um dos amigos que vão estar em Barcelona para seguir comigo: uma semana em Paris, uns dias em Amsterdam.

Masssss entre Paris e Amsterdam rola uma Belgiquinha. O que custa alugar um carro em vez de pegar um trem ou avião e enfrenttar os 500 e poucos km que separam Paris e Amsterdam de carro? Então esse é o plano: sair de Paris de manhãzinha, parar em alguma cidade da Bélgica (sugestões?), encher a cara de cerveja, dormir uma noite por lá e no dia seguinte seguir para Amsterdam.

Então ficamos assim: SP – Roma – Florença – Veneza – Barcelona – Paris – algum lugar na Bélgica – Amsterdam – SP. UFA. Coragem para essa maratona.

Estou ansiosaaaaa! Socorro! No próximo capítulo, passagens e hospedagens, essa eterna luta.

VOLTEI!

18 de janeiro de 2010

Ah gente, esse blog tá tão largadinho. Nem terminei de escrever sobre Barcelona, fiquei em falta com Paris, e depois disso ainda fui pra Buenos Aires e para a República Dominicana, altas viagens, mil coisas para contar, e eu não me dei ao trabalho de voltar aqui pra escrever… =\

Foi mal. Eu não desisti do blog e inclusive quero escrever sobre esses lugares todos, mas agora minha cabeça tá a mil com outra coisa: minha próxima viagem de férias. YEAH. E organizar viagem dá trabalho, é tenso, então achei que seria uma boa ir anotando os passos do planejamento da viagem aqui no blog. Sei lá se vai interessar a alguém, sei lá se alguém ainda lê isso aqui, mas vai ser bom até pra eu me organizar…

Então vou começar uma série FÉRIAS 2010, e se alguém ainda tá lendo aqui e quiser me ajudar no planejamento, bora!