Madrid – pra começar

 

Oi Madri :)

Oi Madri :)

Eu disse lá no comecinho, mas acho válido lembrar aqui que a Espanha só entrou no meu roteiro de viagem porque estava no meio do caminho entre Portugal e França. Assim… não é que eu não quisesse conhecer a Espanha, mas na minha listinha de prioridades, ela não era nem top 5. Mas havia tempo, e era pertinho… por que não?

Então eu fui para Madrid com expectativas baixíssimas. Claro que também pesquisei sobre a cidade, e me animei com algumas possibilidades, comprei um guiazinho, etc e tal, mas estaria mentindo se dissesse que estava tão ansiosa pela Espanha como estava por Portugal e Paris.

Daí a gente chegou. Vale avisar que o aeroporto de Barajas, que é o grandão de Madrid, é uma coisa bizarramente gigante. Imaginem vocês que há um terminal, o T4, que é exclusivo da Iberia. E mesmo DENTRO deste terminal, mesmo pegando o trenzinho, se você for fazer uma conexão pode levar quase meia hora só se deslocando de um portão ao outro. Eu devia parecer uma caipira, foi o maior aeroporto que eu vi na minha vida. E isso porque eu só vi um terminal. Mas enfim. Só pra avisar que Barajas é uma enormidade.

 

Até a esteira de bagagem é superlativa.

Até a esteira de bagagem é superlativa.

Mas como em qualquer cidade minimamente civilizada, você consegue sair do aeroporto usando transporte público numa boa. Siga as plaquinhas do metrô – que em Madrid é realmente muito bom – e pronto, você chega a qualquer lugar. A maior parte das estações tem elevador ou escada rolante, mas algumas não tem, então lembre-se das dicas sobre malas.  Para sair do aeroporto (ou para chegar nele) de metro você vai gastar 2 euros, se não me engano.

Importante: prepare-se para exercitar seu espanhol ou enrolar no portunhol, pois como me disseram e eu pude constatar, os espanhóis não falam inglês, lamento. Mas obviamente você, brasileirinho cheio de ginga, vai super conseguir se virar por lá.

 

Vai uma porra recheada de chocolate aí?

Vai uma porra recheada de chocolate aí?

Em diversos aspectos Madrid me lembrou  São Paulo. Primeiro porque se alguém te pergunta “o que você vai visitar em Madrid?”, dificilmente você terá uma resposta na ponta da língua. Em Paris, visita-se a Torre Eiffel ou o Arco do Triunfo. Em Londres, você vê o Big Ben, o Parlamento. No Rio, o Cristo Redentor ou o Pão de Açucar. E em São Paulo? E em Madrid? O que faz o coração dessas cidades bater não são pontos turísticos, mas sim museus, bares, restaurantes, parques, coisas que talvez você não lembre de bate-pronto, mas que claro que podem ser muitíssimo marcantes.

Depois porque é uma cidade cosmopolita, agitada, de negócios e famosa por sua vida noturna. E pra completar, Madrid nos recebeu com céu cinza, chuva e friozinho. São Paulo, gente! 

 

Olha que nuvens familiares para uma paulistana

Olha que nuvens familiares para uma paulistana

Bom, nós ficamos 4 noites em Madrid, naquele hotel que eu já contei para vocês. Demos um azar danado, o tempo esteve péssimo na maior parte dos dias, e chegamos a pegar 4 graus na madrugada. Considerando que era primavera, foi bem atípico. Mas a chuva não nos impediu de curtir para caramba a cidade. Só demos uma escapadinha, para Toledo, o que no fim das contas não foi muito legal, mas isso eu conto mais pre frente.

Madrid é mais cara que Lisboa, mas não muito. Pode ir sossegado porque dá para almoçar, jantar, beber e ser feliz. Vale lembrar que os horários dos espanhóis são meio malucos: a manhã vai até umas 14h, a tarde até umas 20h e a noite só Deus sabe. Então, se quiser almoçar como os espanhóis, é depois das 14h. Em compensação você pode acordar tarde e tomar café da manhã sem culpa. E se bater uma vontadinha de tomar cerveja no café da manhã, pode se jogar: eles não vão olhar torto.

Ah, outra coisa importante. Tirando os lugares turisticos, tudo fecha entre 14h e 17h. É a siesta, meu bem: serious business. Não estranhe as portas fechadas, tente se adaptar aos horários deles e em pouco tempo você vai sacar que eles sim sabem viver!

O transporte: eu andei muito à pé. Muito mesmo. Acho que só peguei metro umas 3 vezes. Mas daí você que sabe se tem pique ou não. De qualquer forma, o transporte público lá parece funcionar muito bem. Além do metrô, que eu já disse, diz que os ônibus são pontualíssimos e excelentes. 

A cerveja: bom, nessa altura do campeonato eu já estava abandonando a loira gelada e aderindo à turma do vinho, mas em Madri você vai encontrar pelo menos duas cervejas razoáveis: meio fraquinhas, mas que não comprometem: a Mahou (lê-se MAOU) e a San Miguel. Se você for pedir um copo de cerveja em algum lugar, peça uma CAÑA. Se for pedir uma long neck na boate, peça um TERCIO (acho que é isso). Vinho, é una copa de viño, e não una taza, pelamordedeus.

A comida: bom, eu mais tapeei do que comi comida em Madrid. Para quem não sabe, tapear é comer tapas, que são porçõezinhas de comida que você come numa bocada só. Mas se você quiser almoçar, há menus do dia por 8 ou 10 euros, com prato, sobremesa e bebida. Mais pra frente eu vou falar dos lugares aonde fui e das coisas que comi, porque comer e beber bem é bom demais em Madrid.

 

E a noite, ahhhh a noite de Madri

E a noite, ahhhh a noite de Madri

Anúncios

8 Respostas to “Madrid – pra começar”

  1. Carol Says:

    To adorando o Blog!!! No final de janeiro viajarei para Europa, ficarei 22 dias e meu roteiro é bem parecido com o seu… Barcelona/ Madrid/ Córdoba/ Sevilha/ Lisboa e PARIS!! Destas cidades já conhco Paris e madrid mas meu marido não, e como vc também amei Madrid, será q n vou ser fã de barcelona?! hahahah… Estou lendo todos os posts… Obrigada pelas dicas!!!! Beijos e parabéns!

  2. Ligelena responde « Viagens de Ligelena Says:

    […] pessoas querem saber como se chega ou sai de Barajas de Metrô. É fácil e eu super recomendo. Foi nesse post que eu falei disso, mas recapitulando: siga as placas em Barajas até o metrô, lá você compra o […]

  3. Edewal Nunes Says:

    Afinal, veio mais um pouco da viagem. Quando virão os comentários sobre Toledo?
    A narração em capítulos faz parte do suspense?

  4. Celta Says:

    Mais uma vez, benvinda à Madrid!!

    (e é um tercio mesmo!)

  5. Robson Says:

    Pô, que viagem bacana Ligia . :)

    Achei interessante o parâmetro que você usou para comparar Madrid e São Paulo. Nunca tinha parado para pensar nisso. São tantas coisas pra se ver aqui em Sampalândia que, quando me perguntam, eu respondo: ah, tem várias. Ou acabo citando uma avenida (Paulista) por exemplo.

    Aqui é uma megalópole, mas sem uma referência turística. O que necessariamente não é ruim.

    Vou continuar pensando sobre isso…

    :)

  6. Sarah Says:

    O que eu acho estranho sobre Madrid é que tive momentos inesquecivelmente fodas na minha vida (como meu casamento, conhecer pessoas queridas, museus fantasticos, uma cidade muito bonita em alguns pontos), não gostei tanto de lá.
    A siesta me irritou, apesar de concordar que eles é que vivem corretamente.
    Continue sua saga, estou adorando.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: